sábado, 12 de fevereiro de 2011

Vítimas da chuva na Região Serrana são homenageadas

Houve um minuto de silêncio e distribuição de mudas de plantas.
Sobreviventes se emocionam ao lembrar dos momentos de desespero.

Do RJTV
Na praça Demerval Barbosa Mooreira, no Centro de Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio, este sábado (12) é dia de homenagear as vítimas das chuvas. Pessoas levaram flores e depoimentos de saudade e de incentivo para a cidade. Houve um minuto de silêncio.
Mais de 890 pessoas morreram nas enchentes de janeiro na Região Serrana.
"Nós precisamos lutar por uma cidade. Essas pessoas não se foram em vão. As pessoas precisam de um retorno", disse uma moradora muito emocionada.
Mais cedo, na Praça dos Suspiros, pessoas vestidas de branco carregavam balões. Foram distribuídas mudas de plantas.
As ruas do centro de Nova Friburgo já estão limpas, mas, em muitos bairros as cenas ainda chocam. Uma escola não teve condições de receber os alunos.  Em outro bairro moradores continuam sem água, luz e coleta de lixo. Quem pode ajuda os vizinhos.

"Mais do que nunca se unir, abraçar cada um. Vamos em frente, né", disse a dona de casa Luci Levorato.
A cidade contabiliza mais de 420 mortos e 85 desaparecidos. Um mês após a tragédia é difícil esquecer o sofrimento de tanta gente diante da força da natureza. Fúria que veio de uma vez só. Em 24 horas choveu o esperado para todo o mês de janeiro. Enchente e lama levaram sonhos e muitas vidas, mas teve gente que segurou firme, e nasceu de novo.

"Eu tenho que esquecer aquele passado e pegar o presente agora", disse dona Ilair Pereira de Souza, que foi salva em um resgate emocionante.
Histórias que Emily e Luís Felipe vão saber quando crescerem. Neste sábado, eles completam uma semana de vida e moram numa construçao abandonada com os parentes. A família perdeu tudo no temporal e quer um recomeço.
"Eu tenho meu filho nos meus braços. Eu sobrevivi e a minha família também", contou emocionada a costureira Alexandra Ribeiro.
Esta é apenas uma de milhares de famílias que ainda não tem para onde ir. A maioria continua nos abrigos, mas a visita de atores ajuda a recuperar a alegria de quem não pode voltar pra casa.
"A gente tem que ter muita fé e ver que a criança ali ainda está sorrindo, tirando força para brincar", falou o ator Adriano Ramirez.
No distrito de Itaipava, em Petrópolis, o cenário ainda é de destruição. Já em Teresópolis, construções em áreas de risco estão sendo demolidas, tudo para evitar novas tragédias.

Agora toda a Região Serrana, prefeituras e empresários do turismo, se empenham para que os turistas voltem a visitar a região e possam ajudar na recuperação da economia.
"Que as pessoas venham nos visitar e venham movimentar o nosso comércio que a cidade está precisando disso", foi o apelo feito pelo gerente de um hotel, Henrique Dutra Cabral.

Nenhum comentário:

Postar um comentário